ActiveRunner - O que estou ouvindo

O que tá rolando no meu IPOD

 

ACCEPT

Esta banda é incrível! Com dois ótimos guitarristas: Wolf Hoffmann e Herman Frank, Peter Baltes no baixo, Stefan Schwarzmann e o novo vocal Mark Tornillo.
Esteve recentemente no Brasil com essa nova formação e revolvi ouvir a discografia completa.
Abaixo um pouco da história da banda:

 

 

História


No final da década de 1970 e início da de 1980, a Alemanha começava a despontar como um dos grandes berços do rock and roll. E foi nesse país e nessa época, que o vocalista Udo Dirkschneider, depois de algumas breves experiências musicais, montou o Accept.

Após a formação estar completa com Wolf Hoffmann e Jorg Fischer nas guitarras, Peter Baltes no baixo e Frank Friedrich na bateria, a banda lança o álbum de estréia auto-intitulado em 1979. Apesar da voz de Udo ter sido o grande destaque do disco, Peter Baltes foi quem cantou nas faixas "Sounds Of War" e "Seawinds". No ano seguinte, I’m a Rebel serviu para marcar a entrada do baterista Stefan Kaufmann e foi só em Breaker, de 1981, que o grupo começou a ter uma estrutura realmente profissional, com produtor, empresário e tudo mais.

Já nacionalmente conhecidos, o Accept decide então dar um grande passo e lança Restless and Wild em escala mundial. O álbum, de 1982, é aclamado pela mídia e é até hoje reconhecido como um dos mais importantes do heavy metal. A faixa de abertura "Fast As a Shark" torna-se um dos maiores hits do grupo.

O guitarrista Jan Koemmet substitui Jorg Fischer e é lançado, em 1983, o clássico Balls To The Wall. A faixa-título ganha um videoclipe bastante executado e rende grandes turnês. Dois anos depois, sai Metal Heart, que contou com o mesmo produtor do Scorpions, e com a volta de Fischer ao grupo. Quase que simultaneamente, é lançado o EP ao vivo Kaizoku-Ban que trazia faixas como "Head Over Heels", "Love Child" e "Living For Tonight".

Em 1986, "Russian Roulette", marcou o rompimento do Accept. Por divergências artísticas, Jorg Fischer e o vocalista Udo abandonam o grupo. Este último se lança em carreira solo e somente três anos depois chega às lojas o novo trabalho dos alemães. Eat the Heat trazia David Reece nos vocais e Jim Stacey na guitarra. Apesar da inegável qualidade do disco, os fãs não aceitaram muito bem os novos integrantes. Novos desentendimentos entre os próprios membros e problemas de saúde com Stefan Kaufmann levaram ao encerramento das atividades do grupo.

Um álbum ao vivo com a antiga formação, intitulado Staying A Life, foi lançado em 1990 e trazia todos os grandes sucessos como "Neon Nights", "Son Of A Bitch" e "Dogs On Leads". A volta do Accept, porém, com Udo de volta aos vocais, não demorou. Em 1992, Objection Overruled chegou para reconquistar o público, mas desta vez como um quarteto, já que Wolf Hofmann ficou sendo o único guitarrista. Death Row, editado na seqüência, foi a despedida de Stefan Kaufmann no grupo.

Em 1996 os alemães lançaram seu último trabalho. Predator contou nas baquetas com Michael Cartellone, que tocou com Ted Nugent, e depois desse lançamento decidiram encerrar em definitivo as atividades da banda.

Udo Dirkschneider retomou sua carreira solo com o U. D. O. e o duplo ao vivo The Final Chapter, saiu dois anos depois. Em 2001 e 2002 foram lançados A Tribute To Accept e A Tribute To AcceptII, respectivamente, no qual bandas consagradas como Primal Fear, Darkane, Therion e Dimmu Borgir fizeram suas versões para os clássicos do Accept.

Em 2004, para alegria dos fãs da banda, chegava às lojas o CD e DVD Metal Blast From The Past. O material foi gravado durante uma turnê mundial do grupo na década de 1980 e reúne além de grandes sucessos da carreira, extras e galeria de fotos.

Em 2005, depois de inúmeras apresentações pelos quatro cantos do mundo, o grupo anunciou que tiraria umas férias dos palcos. O concerto de despedida aconteceu em Kaverna, na Bulgária.

Em 2009, a banda se reúne novamente, agora com o Mark Tornillo nos vocais, e em 2010 lança o décimo segundo álbum de estúdio: Blood of the Nations. Ao contrário das expectativas, o álbum tornou-se um sucesso nas paradas musicais, ficando na quarta posição na Media Control Charts. Nesse ano a banda tocou pela segunda vez no Rock Hard Festival.


Mais:

ACDC
Accept
Black Flag
Black Sabath
Faith No More
Inocentes
Metallica
Motorhead
Ozzy Osbourne
Plebe Rude
Slayer
Soundgarden
Ratos de Porão
Van Halen
Yes



Fonte: Wikipedia